Governo japonês vai reduzir uso de plástico em órgãos públicos

De acordo com o Banco Mundial, num relatório preliminar, as conclusões sobre a pobreza calculam a linha da pobreza em 0,88 cêntimos por dia, enquanto 49,9% das pessoas vivem abaixo da linha da pobreza em Timor-Leste. A maior parte do lixo é despejada diretamente nos pavimentos e o lixo raramente é coletado. Rios cheios com plástico vão derramar o lixo perto e no mar. Foto: Martine Perret/UNMIT

O governo japonês decidiu cortar o uso de produtos de plásticos em cafeterias e lojas em cerca de 200 órgãos e instituições ligadas ao governo, como universidades, a partir do ano fiscal de 2019, que tem início em abril.

A decisão tem como objetivo reduzir a quantidade de dejetos de plástico nos oceanos. Ela foi tomada quando as diretrizes para a assinatura de contratos entre o governo e operadoras de cafeterias e lojas estavam sendo revisadas.

Será pedido às operadoras de cafeterias que evitem o uso de talheres e recipientes descartáveis de plástico. A exceção é para serviços a portadores de deficiências.

Os donos de lojas de conveniência e demais varejistas serão orientados a deixar de fornecer sacolas plásticas, além de canudos e colheres de plástico.

O governo afirma que só irá assinar contratos com entidades capazes de atender aos novos padrões.

O ministro do Meio Ambiente, Yoshiaki Harada, afirmou que as novas diretrizes serão rigorosamente aplicadas. Ele disse acreditar que a campanha do governo incentive autoridades provinciais, municipais e diversos setores industriais a adotar a medida.

*Com informações da NHK (emissora pública de televisão do Japão)
Fonte: Agência EBC Brasil

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *